fbpx

Medicina e Desenvolvimento Humano

Temos dois tipos de silêncio que precisamos treinar, o silêncio mental, que conseguimos através da meditação, vamos falar nisso mais adiante, e o silêncio da “boca”, ou seja, o silêncio das palavras.

Engraçado a ansiedade de nossos familiares para que falemos rápido quando nascemos. Parece uma competição entre mamães, meu filho falou “bu” com 2 meses, nooossa o meu nessa idade já falava “bubu”.

Somos impelidos desde de cedo a falar, e há algum mal nisso? De forma alguma, pois de nossas bocas também podem sair palavras de carinho, amor, solidariedade. Mas, infelizmente não é isso que vejo.

Deveríamos bem antes de sair falando aprender a ficar em silêncio, principalmente naquelas situações em que somos feridos. Mas somos instantâneos em disparar palavras ao vento, e na grande maioria das vezes basta uma brisa para suas palavras virarem um tornado. E de ferido passa-se a agressor (infelizmente já agredi muitas pessoas e hoje me arrependo!).

Existe um ditado “temos dois olhos, dois ouvidos e uma boca” para que falemos menos! (Ainda bem né, porque com uma boca já está todo mundo acima do peso, imagina com duas, kkk, brincadeira, não podia deixar passar a piada, que se saudável, também detoxifica a alma).

Aprendendo com o silêncio!

Ficar em silêncio é difícil, muito difícil, falamos na impulsividade. Falamos achando que estamos nos defendendo, falamos porque falamos, falamos porque não pensamos.

“Se Pedro fala de Paulo sei muito mais de Pedro que de Paulo”.

Sei que viver em ambientes onde todos falam mais que deviam contamina a gente, e passamos achar isso normal. Mas pare por um minuto e reflita sobre os ambientes que você frequenta. Como andam as conversas? É mais fácil falar da vida alheia não é, pois a nossa está perfeitamente tranquila e equilibrada. Estou satisfeito com o que sou, com meus relacionamentos, com minha vida financeira, com meu corpo, então vou falar para “ajudar” a outra pessoa! Uhn sei!

Eu já falei demais e ainda me pego falando muitas vezes sem pensar. Talvez por achar que assim marco meu território, que imponho minhas ideias (que nem sempre são as melhores), ou na maioria das vezes nem sei porque falo, mas, falei.

Mas a transformação começou quando abracei o silêncio, e com ele, passei a aprender mais que “tentar ensinar”.

Então comece hoje a falar menos. Mesmo, e principalmente se, for agredido, ou ainda achar que alguém está “errado” e você quer mostrar suas certezas! Apenas silencie, pois, silenciando a boca fazemos menos ruídos e escutamos melhor o que realmente importa.

Exercício

Quando estiver conversando com alguém e sentir aquela enorme vontade falar (de alguém ou de algo não construtivo) faça o seguinte, MORDA A LÍNGUA. Sim isso mesmo, fique de boca fechada e dê uma leve mordida na língua, e se a vontade falar for ficando maior, morda um pouquinho mais forte, e mais, e mais. Isso fará você lembrar de SUA PROMESSA DE MUDANÇA! Você e mais importante que falatório vazio!

Então faça hoje um dia de silêncio e siga assim durante os próximos dias, não tenha pressa para falar, pense, pense muito antes de falar.

Se dê ao direito de FICAR EM SILÊNCIO. E assim a mágica começara a ser realizada.

Bração procêis.

#drsamyzenun #hipertrofiandooespirito #emagrecendoocorpo

Samy Zenun
Autor

Olá, sou o Samy Zenun, médico, especialista em pessoas. Hoje tenho como missão ajudar as pessoas a melhorarem sua saúde e qualidade de vida. Acredito que com pequenas mudanças de hábito e atitudes, todas as pessoas podem melhorar sua saúde física e emocional. Deixe seu comentário e inscreva seu melhor e-mail para receber dicas sobre medicina, saúde, desenvolvimento humano, ciência e espiritualidade.

Escreva um comentário